[RESENHA] A Bolsa Amarela - Lygia Bojunga

19:16



Hoje trago para vocês uma resenha fresquinha. Me lembro de ter lido esse livro com 9 ou 10 anos, sendo que ele e alguns outros, foram os propulsores em me incitar a ler ainda quando criança. Os anos se passaram e “A bolsa amarela” surgiu em minha lembrança e a vontade de relê-lo se fez forte, mas tinha um problema: ele ainda existiria? Para a minha surpresa, a resposta era sim e hoje, estou podendo trazer essa resenha tão especial e nostálgica.





"A Bolsa Amarela é uma história de uma menina que entra em conflito consigo mesma e com a família ao reprimir três grandes vontades (que ela esconde numa bolsa amarela ) - a vontade de crescer, a de ser garoto e a de se tornar escritora. A partir dessa revelação - por si mesma uma contestação à estrutura familiar tradicional em cujo meio "criança não tem vontade" - essa menina sensível e imaginativa nos conta o seu dia-a-dia, juntando o mundo real da família ao mundo criado por sua imaginação fértil e povoado de amigos secretos e fantasias. Ao mesmo tempo em que se sucedem episódios reais e fantásticos, uma aventura espiritual se processa, e a menina segue rumo à sua afirmação como pessoa."




Quando eu li essa história ainda pequena, não tinha muito ideia do que o livro queria retratar e para mim, tudo não passou de fantasia — o que não deixa de ser um pouco. No entanto, relendo hoje, eu pude perceber que existem mensagens implícitas e relatos que facilmente me identifiquei.

“A BolsaAmarela” mostra o ponto de vista de uma menina em relação a sua família, além de seus anseios e claro, imaginação. Raquel — a caçula entre quatro irmãos —, por mais que seja uma criança, tem uma personalidade bem forte. Daquelas que se você pergunta o porquê, ela vai querer algo concreto e não apenas um: porque sim ou porque não. Além disso, a pequena possui três grandes vontades: a de crescer, a de ser menino e a de ser escritora.


A de crescer, porque os adultos não a levavam a sério por ela ser uma criança. A de ser menino, porque ela queria fazer o que bem entendesse. E a de ser escritora, porque ela adorava inventar histórias e personagens. No entanto, por conta da forma com que sua família a via, ela percebeu que precisava esconder suas vontades para que eles não rissem delas ou pegassem no seu pé.

É quando um grande embrulho chega repleto de coisas dadas por sua tia Brunilda. Por ser coisas de gente grande, Raquel pensou que não ganharia nada, mas felizmente algo sobrou, a tal bolsa amarela. E é a partir daí que sua imaginação e histórias começam a se desenrolar.



Depois disso, ela coloca todas as suas vontades dentro da bolsa e com sua imaginação, começa a viver inúmeras aventuras ao lado de seus amigos: Afonso, a Guarda-Chuva, o Terrível, a Linha Forte...

Mas ao mesmo tempo em que vivenciava esses momentos, a pequena vai descobrindo que ser do jeito que é já está de bom tamanho. E que não era preciso crescer tão rapidamente ou então virar menino, bastava ela se aceitar e viver.




A história possui uma escrita simples — indicado para crianças mesmo —, porém é essa leveza que nos faz ficar bem próximos da Raquel e sentir o que ela sente. Em certos momentos, me familiarizei com suas aflições, porque de certa forma já passei por isso e tenho certeza que quem ler vai sentir o mesmo.

Outra coisa ao qual me fez gostar ainda mais da história, foram as pequenas alfinetadas em relação ao machismo daquela época. Desde: ser o chefe da casa; o que toma as decisões; como eles podiam certas coisas... Enfim, pequenas coisas que fazem parte da nossa realidade até hoje.


Portanto se querem ler ou presentear seus filhos, sobrinhos ou sei lá quem, vai sem medo, porque tenho certeza que irão se encantar.

You Might Also Like

20 comentários

  1. Gostei do jeito que escreveu sua resenha e expressou sua opinião ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Que bacana sua resenha, além de ser um livro para entreter ainda faz refletir. Eu as vezes tenho vontade de reler alguns livros até pq percebo as mudanças sociais, dessas que vc citou como o machismo velado e outros rs
    Eu tenho sobrinhos, não conhecia esse livro achei uma ótima dica para presentear!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Esse é o tipo de livro que eu adoraria ter ganho quando criança (E hj tb kk) Parece ser muito envolvente e fofo. Se eu encontrar com certeza irei ler! <3

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Esse livro parece ser maravilhoso, já li outos livros da autora e adorei! Parece ter uma mensagem muito bacana, que traz uma reflexão muito bela!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
  5. Encantada com a resenha <3 Lembro de ter lido livros com a mesma premissa quando era mais nova, mas ainda não conhecia esse livro; parece ótimo <3
    Confesso que já tive os mesmos desejos que Raquel quando criança, e alguns ainda mantenho ♥

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Se me lembro bem li esses livros uns anos atrás, nem lembrava mais dele! Bateu uma vontade de reler assim como você, acho que vou fazê-lo. Adorei a resenha, beijo!

    ResponderExcluir
  7. Que resenha mais amor, eu já li, reli e já coloquei mhas filhas pra ler este livro várias vezes, hahahahahahah
    Que bom que está de volta, também me afastei por problemas de saúde, mas estou de volta cheia de energia...

    www.detudopouco.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Olha, eu nunca tinha ouvido falar desse livro, nem da autora (que desastre! hahaha). Particularmente, gostei muito como conduziu a resenha e preciso admitir que me deu vontade de ler. Achei o tema muito, muito interessante e importante. A gente precisa ensinar desde cedo que uma menina pode fazer e ser o que quiser, especialmente nos dias de hoje! Beijão.

    ResponderExcluir
  9. Que resenha mais fofa, adorei o jeito que você escreve e como coloca o que quer destacar é muito bacana. E sobre a resenha, eu já ouvi falar desse livro mas nunca tinha prestado atenção no tema, acho que se assemelha ao Pequeno Príncipe, que é um livro infantil mas que só compreendemos quando somos adultos! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  10. Oi, eu já tinha visto esse livro em alguma biblioteca e nunca peguei pra ler, julguei pela capa. Adorei a resenha, vou colocar na minha lista, quem sabe algum dia eu esbarro com ele em alguma biblioteca e levo pra ler.
    Abraço. 

    ResponderExcluir
  11. Oi Aline, eu não conhecia esse livro.
    Adorei o post, e a forma que descreveu ele.
    Me deixou curiosa para dar uma olhadinha nele. rs

    Beijinhos
    Ana Cruz
    http://celebrandomomentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá Aline, tudo bem? ♥
    Eu não conhecia o livro, mas adorei a sua resenha, ao meu parecer o livro tem uma leitura bem leve e maravilhosa, dica anotadíssima!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Olá amore,
    Já ouvi falar dessa autora, confesso que há uma certa curiosidade de minha parte em ler algo dela.
    Esse livro lembra infância rsrsrs... nem lembro, mais acho que cheguei a começar a ler esse livro na adolescência.
    Os quotes selecionados deram até vontade de ler.
    Dica anotada!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Pela capa do livro eu não compraria mas gostei da sua resenha e percebi que o livro é bem interessante. Eu ainda não conhecia a autora, mas fiquei super curiosa com a escrita dela.
    beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  15. Gente do céu!!

    Tinha até esquecido desse livro! Era o meu favorito, junto com O Sapo Felizardo!!!

    Que saudades! Acho que vou fuçar na casa da minha mãe e ver se eu acho ele!!
    Obrigada pela lembrança querida de infancia, de verdade!

    bjs!

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia a obra mas sua resenhou mostrou ser um livro realmente interessante, Parabéns!
    Adorei o blog. Seguindo ;)

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu amo infanto juvenis e assim como no seu caso foram eles que me iniciaram na leitura. Eu deixava a imaginação correr solta e me sentia vivendo as aventuras dos personagens.
    Infelizmente não li esse livro, mas já estou com muita vontade de ler!
    Obrigada pela dica e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir
  18. Esse título não me é estranho, porém, nunca li o livro!
    Quando você se referiu a "ser um menino" no começo, imaginei que poderia ser livro de um personagem trans. Quando conclui a sua resenha, entendi sobre ser algo mais machista.
    Acho bem interessante reler livros que fizeram parte da nossa infância ou adolescência, isso me fez querer reler o "Guia do Mochileiro das Galáxias". Vamos ver se consigo, pois a lista de livros tá grande!

    Beijos, Isis
    www.elefantevoador.com

    ResponderExcluir
  19. Olá... tudo bem??
    Eu não conhecia este livro e confesso que achei bem interessante... principalmente para incentivar a criançada a ler... acho que por mais que seja indicado para as crianças, pela forma como você descreveu a resenha, pode ser lido para todas as idades... adorei a dica... Xero!

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?

    Tenho a sensação de que já ouvi falar desse livro, a história me parece conhecida mas não sei se já li. Ele parece ser daqueles que vale a pena ler independente dá idade, que sempre agrega conhecimento. Adorei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir

Postagens populares

Seguidores do Google+